Brigas no casamento? Saiba como lidar com isso!

Tempo de leitura: 6 minutos

Quando conhecemos uma pessoa e nos unimos a ela em um relacionamento, precisamos entender que esse é o encontro de duas culturas diferentes. Isso implica formas de pensar e de agir distintas, afinal, são posturas e crenças aprendidas ao longo de uma vida. O que, por vezes, pode gerar brigas no casamento.

A convivência diária impõe desafios e lidar com esse tipo de situação não é fácil para a maioria de nós. Até porque, dividir as responsabilidades, a casa, as contas e a educação dos filhos requer jogo de cintura e paciência. Contudo, quando as desavenças atingem um nível mais alto do que a compreensão, pode ser um sinal de alerta.

Se isso está acontecendo com você e com a pessoa amada, saiba que é possível trabalhar formas de melhorar tal questão. Continue lendo este post e veja como!

O que pode gerar uma crise no casamento?

Em primeiro lugar, precisamos aceitar que as brigas e discussões são comuns e, até certo ponto, saudáveis para uma relação. Por meio delas, podemos aparar as arestas e alinhar o que não está bom para uma ou ambas as partes.

O problema é quando as discussões ficam excessivas, deixando-nos sempre com raiva e na defensiva. Assim, elas se tornam improdutivas e prejudiciais ao casamento, podendo levá-lo ao fim.

Assim como as pessoas, cada relação é única. Contudo, na vida a dois, algumas situações são mais comuns e podem desencadear uma crise. Entre elas, estão os problemas financeiros, a chegada de um filho, o desgaste devido à rotina, algum deslize cometido por um dos parceiros, diferença de opiniões e muitas outras.

Quando acontece uma questão (ou mais) como as citadas, tendemos a nos distanciar. A falta de diálogo e um sentimento de irritação constante em relação ao outro se fazem presentes e, nessa situação, enxergar uma solução fica cada vez mais difícil.

Entretanto, podemos perceber esses sinais de alerta e agir para evitar que a situação se prolongue mais do que o necessário. Afinal, quando há amor e respeito, é possível superar os problemas e ir em busca de uma relação melhor, na qual os dois poderão ser felizes.

Como lidar com as brigas no casamento?

Por mais que uma crise matrimonial seja grave, é possível contornar a situação utilizando as ferramentas comportamentais adequadas. Afinal, todos nós podemos mudar: a Psicologia e seus estudos estão aí para nos provar isso.

Porém, é preciso que haja o desejo de mudança da nossa parte. Se temos disposição e disciplina para trabalhar na nossa transformação, o resultado mais provável é o fortalecimento da relação, bem como uma maior maturidade para enfrentar desafios futuros.

Abaixo, separamos algumas ações que podem nos ajudar nessa tarefa rumo à melhoria do casamento. Veja!

Entenda os reais motivos da briga

Quando os ânimos estão exaltados, tudo se torna motivo para briga. O que, por vezes, faz com que nos apeguemos a acontecimentos superficiais e insistirmos nisso. Desse modo, pode ser complicado encontrar o real motivo que desencadeou o desentendimento.

Entretanto, para resolver as discussões, precisamos abrir mão dos pormenores e buscar a raiz do problema; colocar na mesa a verdadeira razão das brigas. Esse momento pode ser doloroso, pois a frustração e a insatisfação são capazes de vir à tona, mas é necessário.

Discuta somente de cabeça fria

Em um momento de brigas, é imprescindível entender e aceitar que há algo errado. Somente assim podemos nos colocar em posição para resolver o problema. Por isso, ainda que você ou seu cônjuge não queiram falar sobre o assunto, o diálogo franco e aberto deve prevalecer.

Nesse caso, devemos ter conversas somente nas ocasiões em que os dois estejam calmos. Comunicação não violenta são as palavras-chave deste item. É preciso falar sobre os sentimentos que incomodam os dois, sem medo da exposição.

A interação deve ser pacífica, com ambos exercendo a escuta atenta, mas também demonstrando seu ponto de vista sem gerar mais conflitos. A busca por entendimento mútuo precisa ser a essência da conversa.

Tenha empatia pelo outro

Segundo o Dicionário Priberam da Língua Portuguesa, empatia é uma forma de identificação intelectual ou afetiva de um sujeito com o outro. Como essa é uma palavra que está em voga, não é incomum vê-la por aí. No entanto, praticá-la é um desafio diário em qualquer contato humano, principalmente com os nossos parceiros ou parceiras.

Isso se dá porque, após algum tempo de relacionamento, queremos ser compreendidos em nossas particularidades e acreditamos que o(a) outro(a), por ser nosso(a) companheiro(a), precisa agir empaticamente conosco.

Porém, essa é uma via de mão dupla. Assim sendo, antes de reclamar ou criticar a pessoa amada, devemos nos colocar no lugar dela. Tentar ver com os seus olhos e entender seus sentimentos, sua forma de pensar e de agir.

Reconheça os próprios erros

Culpa e responsabilidade são palavras distintas, mas usadas como sinônimos por muitas pessoas. Quando um relacionamento não vai bem, precisamos entender que, provavelmente, as duas partes são responsáveis por isso. Afinal, um relacionamento se constrói a dois.

Portanto, devemos olhar para nós mesmos, para nossas falas e atitudes e analisar o que temos feito de errado. Ou seja, avaliar qual é a nossa responsabilidade diante das brigas. Por conhecer nossas razões, temos a tendência de acreditar que estamos sempre certos.

No entanto, somos seres em constante evolução — passíveis de falhas. Reconhecer tal fato nos ajuda a caminhar em direção à mudança necessária para harmonizar o relacionamento e também nos auxilia a sermos melhores para nós mesmos.

Como um treinamento pode ajudar um casal?

Os treinamentos comportamentais têm como objetivo principal o desenvolvimento humano de seus participantes. Por meio de técnicas específicas, são geradas uma série de reflexões profundas a respeito de quem somos, do nosso grau de envolvimento na relação e no casamento como um todo.

Com o autoconhecimento promovido pelo treinamento, podemos conhecer e entender nossos desejos no que diz respeito ao matrimônio e a nós mesmos. Isso nos permite retomar a essência do relacionamento e (re)construir uma relação sólida, repleta de amor e paixão.

As ferramentas visam a diminuição imediata das brigas, um maior alinhamento dos valores do casal, o fim do ciclo de vitimismo, a retomada da intimidade, dentre vários outros benefícios.

Para nos mantermos mentalmente saudáveis, é importante não nos anularmos. O mesmo ocorre com um relacionamento: ignorar que há algo de errado pode alimentar as brigas no casamento, tornando-o infrutífero e minando a relação. Uma crise não precisa necessariamente significar o fim do relacionamento. Entretanto, algumas atitudes se fazem fundamentais para melhorar e evoluir junto aos nossos(as) parceiros(as).

Agora que você já sabe os primeiros passos para lidar com as brigas e discussões no casamento, seja feliz com a pessoa que você escolheu para viver junto com você.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *